Amor e fé – ADQ

No último post falei que tinha algo para compartilhar…

Encontrei um blog esta semana de uma mulher (linda) que é casada com o dependente químico, estão juntos há seis anos. Li todos os posts desde o início do blog, uma história de recaídas, tratamentos, recuperação, recaídas, tratamentos e mais recuperação. Porém, muito, mas muito mais que tudo isso, uma história de amor e fé. Não consigo expressar muito bem falando, mas…escrever sempre clareia meus pensamentos e sentimentos – ou não!

Ela com certeza foi e é muito guerreira em todo esse tempo. Esteve grávida, muitas vezes seu marido não estava junto nas consultas, não partilhava da mesma alegria por estar em recuperação ou internado. Ele já esteve limpo por um ano, 7 meses, 6 meses…atualmente está limpo há pouco mais de 70 dias. A Poly escreveu dois livros contando de suas experiências, fez cursos para entender mais de dependência e codependência, mãe de três filhos, formada, pós graduada e busca ser realizada em tudo o que faz e em seu trabalho. Mulher valorosa! Mas quantas famílias não conseguiram buscar conhecimento como ela, não sabem como lidar com os dependentes e acabam atingindo o fundo do poço com eles?! Muitos nem sabem que existem grupos de ajuda em várias cidades, reuniões para famílias e para os dependentes.

Aprendi que não são drogados nem viciados. São adictos. A dependência química é uma doença, incurável, mas tratável e que necessita de recuperação constante. Os familiares que sofrem com os adictos, podem se tornar codependentes, procurar evitar de todas as formas a recaída do adicto a ponto de não viver mais sua vida e sim ser a sombra do outro. Aprendi o Só por hoje. Bem como nosso Senhor já disse,

Não vos inquieteis, pois, pelo dia amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal. Mateus 6:34

Para mim, foi uma lição do cuidado e amor de Deus pelas pessoas, e como só esse amor é capaz de enfrentar tais situações. Não porque é castigo, ou pecado, mas prova nossa dependência Dele, e o quanto podemos ser usados na vida de outras pessoas como alicerce, testemunho, que com amor e fé as coisas podem mudar e que Ele é o Senhor de tudo. Não pense “é fácil falar porque você não passa por isso“.  Fui confrontada. Meu coração doeu com o dela ao ler os relatos, mas nem se compara à dor que ela e seu marido sentiram em todas estas dificuldades. Abri meu coração para essa realidade, lugar de “drogados” não é na rua, no trilho, na cadeia ou no caixão. Não é “bem feito”, “culpa dos pais”, “sabia que ia dar nisso”, “não tem jeito”, “é caso perdido”, “vai morrer assim”.

Dependência química é uma doença! Chega um estágio que o próprio cérebro pede pela substância como se necessitasse de água ou nutriente dos alimentos. É como uma diabetes, como um câncer. Porém muito mais devastador. E só depende do próprio adicto querer esta mudança, mas o apoio de seus próximos faz sim muita diferença.

Pra variar, não sei se falei coisa com coisa. Meu coração ardeu e mandei um e-mail para a querida Poly, ela postou no blog hoje. Amando um Dependente Químico.

Não é pena, não é sensacionalismo, não quero mudar o mundo porque me deparei com uma realidade “triste”. É admiração, é amor, é fé. O mínimo que posso fazer hoje por essa família e por tantas outras que vejo nos comentários do blog passam, é orar. É falar que há um Deus que é AMOR, que TUDO pode e que é com elas. É fazer a minha parte, com amor, em amor, por amor.

Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e fostes ver-me. Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber? E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos? E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te? E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes. 
Mateus 25:34-40

Não estamos nesse mundo somente para nascer, crescer, fazer um casamento lindo, ter um casamento feliz, filhos, vida profissional realizada. Não seria muito melhor se pudéssemos ajudar outras pessoas com tudo de bom que há em nós e que possuímos? Seu tempo, seu dinheiro, sua inteligência, seus dons. Não são só para você, sabia?! Deus nos fez especiais, individuais, cada um com um propósito para cumprir ao longo de nossos dias aqui. Vamos fazer valer cada um deles!

Isso é o que está no meu coração, o que Deus me mostrou. Como sou egoísta! Eu preciso fazer mais pelo meu próximo. Amar a ele como me amo, e então amar a Deus!

Vamos refletir? Não estou falando de transformar o mundo, salvar os adictos e todos serão livres e felizes para sempre. Mas o mínimo, do mínimo do mínimo que podemos fazer é olhar para nós, para nossa casa, nosso próximo, olhar para dentro. Se sentir uma pontinha no seu coração, faça algo por alguém que precisa, que não tem a esperança e a vida boa que eu e você temos.

Não custa nada, muito pelo contrário, nós é quem ganhamos…

Faça tudo com amor!!!

#confrontamento

Anúncios

7 comentários sobre “Amor e fé – ADQ

  1. Deus fala conosco de várias maneiras, e Ele usou você para falar a mim as palavras que eu necessitava ouvir, quando eu necessitava ouvir. Não somente eu, hoje recebi alguns e-mails, comentários no face e no blog, falando do quanto foram ajudadas e levadas a refletir por suas palavras, querida. Você poderia simplesmente não se importar, ignorar, ou até mesmo desprezar, mas sua atitude foi linda. Muito obrigada! Beijos! Polyanna.

    Curtir

      1. oi Tai! Li sua carta para a Poly no blog dela e assim como tantas outras me emocionei com sua palavras e mais, senti que vc é uma mulher que pega fogo! O fogo santo do Espírito de Deus… queria também poder contar com suas orações, seu “joelho no chão” rs… tbm sou casada com um adicto, uma história bem parecida com a da Poly (7 anos juntos, muitas recaídas, muitas internações, e muito amor e fé em Deus, para passar por tudo isso).
        Que Deus continue fazendo de vc uma mulher abençoada!
        Coloque o nome dele (meu marido) em suas orações se puder, ele chama Daniel. Obrigada! Um beijão, fica com Deus!
        Luiza

        Curtir

      2. Olá Luiza! Fico feliz que alcançou sua família também! E estarei orando por vocês, sempre no amor e fé em Deus, que sabe e pode todas as coisas! Um beijo!!!

        Curtir

  2. Tai, tu é demais!!

    Não vos inquieteis, pois, pelo dia amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal. Mateus 6:34

    Um coração enorme!! ♥

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s