Sobre o amor

Tradução e adaptação do texto de Joyce Meyer sobre casamento – Clique aqui para ler o originai.

Você sabia que se você não gosta de si mesmo, você nunca vai gostar de qualquer outra pessoa, e você não será capaz de ajudar o seu cônjuge a gostar de si mesmo também? Você vai gastar todo o seu tempo tentando provar seu próprio valor. A cura primeiro vem por aceitar a si mesmo, sabendo que onde você está hoje não é onde você vai acabar, e sabendo que Deus está continuamente aperfeiçoando você. Nós todos precisamos aceitar o amor incondicional de Deus e reconhecer o fato de que Deus não nos ama por causa do que fazemos – mas por causa de quem somos.

O amor é a mais elevada forma de maturidade, o qual muitas vezes requer um dom sacrificial. Se o amor não necessita de algum tipo de sacrifício da nossa parte, nós provavelmente não amamos a outra pessoa. Se não há sacrifício em nossas ações, estamos provavelmente reagindo a algo de bom que eles fizeram por nós, ou simplesmente fingindo ser gentil para ganhar algum controle sobre eles. O amor é quase sempre imerecido pela pessoa que o recebe.

Nossas decisões devem ter sempre os interesses do nosso cônjuge em mente, é importante compreender que o verdadeiro amor dá de si mesmo.

Sacrifício significa que você não vai ter as coisas acontecendo do seu jeito o tempo todo, significa que tanto o marido quanto a mulher são chamados a amar um ao outro com amor incondicional. Essa decisão precisamos tomar todos os dias!

Anúncios

Um comentário sobre “Sobre o amor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s